Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

E esta é a minha forma de apoiar a Selecção! :D

Andei que tempos a magicar numa forma de apoiar a nossa selecção e concluí que a melhor maneira seria fazer uma pulseira

. Desenhei várias pulseiras na minha cabeça mas depois ao meter mãos à obra, saiu-me esta. Adorei-a! 

A primeira vez que a usei foi no último jogo da selecção (Portugal-Holanda) e funcionou como um amuleto da sorte.

Ganhámos e até o Ronaldo marcou dois golos!

Hoje já está no pulso, de novo, para dar sorte.

E vamos ganhar.

Eu acredito!

Sete - O Número Místico

 

 

O número perfeito, o sete, talvez seja o mais místico, o mais misterioso dos números e tem como simbologia associada a Criação, apresentando-se também como sendo o da união do Homem com Deus. Para além de ser o meu dia de anos.

 

Será que os sete golos marcados por Portugal, no jogo de hoje, é algum prenúncio? Recordemo-nos das sete maravilhas do mundo, dos sete pecados mortais, das sete virtudes, das sete cores do arco-iris, dos sete dias da semana... e do meu dia de anos...

 

Devo confessar que não vi o jogo. Estava de volta das avaliações dos meus alunos porque amanhã há reunião de avaliação. Mas ia sabendo dos resultados pelo meu pai, pelo N. e pela gritaria do pessoal que estava a ver o jogo no café aqui do prédio.

Começo a contar um... dois... três... quatro... ao quinto já me levantei para ir ver. Eu nem queria acreditar... e ainda veio o sexto e depois o sétimo!!!! Eu e o meu irmão desatámos a rir do inesperado da situação... Os tugas começaram todos aos gritos e a vuvuzelar mas nós degenerámos e desatámos à gargalhada... Teriam sido os nervos ou a alegria?

 

Apesar de eu não ser grande fã do Ró-ró (entenda-se Ronaldo), achei imensa piada ao golo dele e ao malabarismo com a bola, a tal técnica do golo à garrafa do ketchup!

Anyway, o resultado do jogo deu-me mais pica para enfiar o nariz nos papéis e acabar com as avaliações de vez. E agora só me apetece gritar...

 

TUGAS POWER!

 

O Que É Que O Meu Vizinho Fez Pela Selecção...

O meu vizinho do lado, desde que surgiu a publicidade na televisão, a perguntar o que é que nós faríamos pela selecção que tem andado em bolandas.

 

Cada vez que o spot publicitário passa na TV, ouvimos o nosso vizinho dizer à mulher em altos berros “ ó M. tu é que me podias ajudar a ter uma ideia… tou farto de pensar mas não me sai nada.. Ó Jesus, ajuda-me!”

Eu e o N. olhamos um para o outro e, telepaticamente pensamos o mesmo: o gajo pirou de vez.

 

Um dia destes, encontrou-me a sair de casa e disse-me “ó vezinha, você é que me podia ajudar…”. Eu achei aquilo esquisito mas perguntei-lhe se estava com algum problema.

À medida que íamos descendo as escadas ele confidenciava-me que queria participar, com um vídeo, na tal publicidade de “o que faríamos pela selecção”. Disse-me que estava farto de pensar mas não lhe ocorria nada, em princípio tinha pensado deixar o ar condicionado um mês inteiro ligado sem o desligar mas que se lembrou dos 300 euros de luz pra pagar, que também já tinha pedido à mulher para o ajudar mas ela dizia que não tinha jeito para essas coisas. Eu vi-o tão desanimado que lhe disse que ia pensar nalguma coisa e depois lhe diria.

 

Tenho muita pena dele mas tenho mais coisas em que pensar e, diga-se de passagem, nunca mais me lembrei de tão estranho pedido.

Passados uns dias recebi uma sms dele que dizia “vezinha, não se incumode mais porque já estive uma ideia po tal vidio” (assim tal e qual). Por cortesia respondi-lhe a dizer que também estava farta de pensar (o tanas!) mas que ainda não me tinha lembrado de nada e que depois queria ver o tal vídeo. O que eu fui dizer! Adiante!

 

Encontrei-o novamente, vindo da taberna, e diz-me ele todo contente “ai vezinha que o meu vídeo vai ser um chô, até aposto que vai ganhar… e de certeza que vai ser o mais visto no iutubi”

“A sério? Então deve ter tido uma ideia genial…!” respondi-lhe sorrindo. O homem abanou-me a cabeça, soltou uma gargalhada e disse “depois mostro”.

 

No fim-de-semana, vem a minha vizinha bater-me à porta. Cumprimentos para aqui e para ali e a seguir pergunta-me se eu sabia da tal ideia do marido. É claro que eu não sabia pois ele não me tinha contado. A minha vizinha pediu-me para eu falar com ele a ver se o demovia da tal ideia que ela não me contava porque até tinha vergonha. Eh lá! Mas afinal que iria ele fazer?! Eu lá lhe disse que quando encontrasse o marido, dava-lhe uma palavrinha. Já viram a minha sorte?

 

Estava eu à janela a sacudir uns tapetes, e oiço o meu vizinho perguntar-me “atão vai ficar na janela um bocadinho?” e eu disse que sim até acabar de sacudir os pós. “atão não saia daí que eu vou mostra-lhe o que vou fazer pa publicidade… vai já ver a ideia que tive. Até tá aqui o Meireles – que olha para cima e me acena - pa fazer o filme”.

 

Fiquei debruçada na curiosa à espera do grande espectáculo e da grande ideia que o meu vizinho tinha tido.

Quando ele sai debaixo da varanda e o vejo montado numa mota a "tocar" uma vuvuzela, até me deram três coisinhas más. Eu chamei o N. entre espanto e surpresa. O N. chegou-se ao pé de mim a perguntar quem era a merd@ do puto que andava outra vez com a vuvuzela nas beiças. Eu só respondi: “ não é um puto, é o vizinho do lado… e a vuvuzela não está nas beiças, está… “

 

A foto diz tudo. Agora imaginem o vídeo com som. É que a vuvuzela tocava mesmo. E com força. Grande feijoada!